Estação de Tratamento de Água - ETA

38 Visitas
Tema da Aula: Tratamento de Água
Público Alvo: Alunos do ENEM
Duração: 20 min
Trabalhada em: 08 Junho 2022
Disciplina: QUÍMICA

Resumo

O Que é Uma Estação de Tratamento de Água (ETA)?

É uma unidade de tratamento e purificação da água proveniente de diferentes fontes de abastecimento: poços artesianos, rios, lagos, açudes, represas e água de chuva.

A Estação de Tratamento de Água (ETA) é um equipamento que tem como principal objetivo garantir os padrões de potabilidade ao consumo humano.

A água deve ter aspecto limpo, pureza de gosto e estar isenta de micro-organismos patogênicos. Para ela se manter nessas condições, devemos evitar sua contaminação por resíduos. Sejam eles agrícolas (de natureza química ou orgânica), esgotos, resíduos industriais ou sedimentos provenientes da erosão.

A poluição da água prejudica o seu uso, atingindo o ser humano de forma direta. Utilizamos a água para beber, para nossa higiene, para lavar roupas e utensílios. E, principalmente, para nossa alimentação e de nossos animais domésticos.

Além disso, a água tem a função primordial de abastecer toda a estrutura das cidades – indústrias, empresas, escolas, hospitais, casas, etc.

Estação de Tratamento de Água, também conhecida como ETA, visa reduzir a concentração de poluentes na água. E, principalmente, eliminar os materiais orgânicos e micro-organismos patogênicos para o seu consumo. Dessa maneira, tratar a água para que ela não apresente riscos para a saúde pública.

 

Os sólidos presentes em uma água bruta e poluída devem se aglomerar com relativa facilidade. Após uma floculação apropriada, permitindo uma decantação eficiente e com a filtração em carvão antracitoso se consegue uma água límpida e isenta de sólidos. Fazendo com que as propriedades da água tratada permaneçam rigorosamente dentro dos limites definidos pela secretaria de vigilância sanitária, Portaria MS n° 518/2004.

Estação de Tratamento de Água: como funciona?

Primeiramente, a água bruta deve ser bombeada, na maioria das vezes, para um tanque de equalização. Esse tanque possui a capacidade de 5 horas de tempo de detenção. Após a equalização, a água é bombeada para a Estação de Tratamento de Água a uma vazão contínua.

Para ajuste da vazão, na tubulação de recalque da bomba de alimentação da ETA, é instalado um canal de retorno para o equalizador. Com registros que permitem o ajuste de vazão necessária.

A Estação de Tratamento de Água possui as seguintes etapas: floculação, decantação, filtração e desinfecção.

Floculação

Nesta etapa as impurezas da água formam pequenos flocos. No canal de alimentação da Estação de Tratamento de Água é adicionada uma solução alcalinizante para ajuste do pH. Após o ajuste do pH, que deve permanecer entre 9 e 11, o líquido estabilizado penetra na calha de floculação.

Na calha de floculação, é adicionada uma solução floculante, reduzindo o pH para um valor entre 6,5 e 7,5. Em seguida, adiciona-se, também, um polímero auxiliar de coagulação.

O líquido passa, então, pela calha de floculação, que possui uma série de paredes internas, com aberturas laterais intercaladas. Esse material serve para forçar a passagem do líquido em um fluxo sinuoso. Permitindo um tempo de residência ideal para a formação adequada dos flocos. Da calha de floculação a água é dirigida, por gravidade, ao decantador.

Decantação

Aqui ela se distribui por toda a área perpendicular ao fluxo de líquido, formando as várias camadas de concentrações características destes processos de tratamento.

No interior do decantador estão instaladas placas lamelares que formam um ângulo de 50° com a horizontal. Isso impede o fluxo livre das partículas e dificulta a sua entrada para a zona de líquido límpido na superfície.

O processo de decantação dos sólidos forma, na superfície, uma lâmina bem definida de líquido límpido que flui para o filtro gravitacional através de uma calha coletora.

O material sedimentado, resultante da decantação, é encaminhado para o leito de secagem ou filtro prensa. Nesse local ele sofre o processo de desidratação. Após a desidratação deverá ser retirado manualmente e encaminhado para um aterro apropriado, devidamente licenciado pelo órgão ambiental vigente.

Filtração e desinfecção

A água tratada passa ainda por um filtro de leito de carvão antracito. O filtro é dotado de uma camada suporte de brita e de um leito de carvão para a retenção dos sólidos e remoção de outras impurezas indesejáveis que, por ventura, forem arrastadas, garantindo a eficiência do tratamento. E, em seguida, cai em um tanque de contato para receber uma dosagem de cloro para desinfecção. Finalmente, o líquido é dirigido para o tanque de armazenamento para posterior consumo.

Estação de Tratamento de Água: vantagens

A Estação de Tratamento de Água possui, além das unidades acima, os seguintes componentes:

  • Um sistema automático de dosagens, constituído por um painel de controle com quatro bombas dosadoras
  • Quatro reservatórios de produtos químicos
  • Um sistema de controle de nível para o acionamento e desligamento automático do sistema
  • Uma bomba de recalque para saída da água tratada e retro-lavagem dos filtros.

Fabricadas em Poliéster Reforçado com Fibra de Vidro (PRFV), oferecem total resistência química e mecânica. Sendo equipamentos versáteis que operam em quaisquer vazões com baixo custo operacional e facilidade de controle.

Além da facilidade de operação e da alta eficiência de tratamento, as Estações de Tratamento de Água possuem as seguintes vantagens:

  • Sistema compacto e modular
  • Baixo custo com produtos químicos
  • Baixo consumo de energia
  • Fácil operação
  • Economia de espaço
  • Todo equipamento em PRFV
  • Pintura epóxi

É primordial que a escolha da empresa parceira para o desenvolvimento do projeto e instalação de uma Estação de Tratamento de Água seja feita com cautela.

Objetivos

Entender de forma rápida como funciona uma ETA.

Observações

Origem da Água

A água dessas diversas fontes hídricas, que é bombeada e tratada pela ETA é chamada de água bruta.

Geralmente, ela contém substâncias poluentes e contaminantes – vírus, bactérias, resíduos orgânicos, minerais, coliformes fecais e efluentes líquidos químicos – que impactam diretamente em processos industriais, além de serem desencadeadores de doenças e vários males à saúde humana.

No interior da ETA a água bruta é submetida a uma sequência lógica de processos físicos e químicos. É neste percurso que são extraídas as impurezas líquidas e sólidas.

O produto final deste processo é a água higienizada e segura para o consumo humano e uso industrial: a água tratada.

ESCOLA AZEVEDO COSTA
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
Formando jovens desde 25 de Janeiro de 1955
Av José Antonio Siqueira 0111, Julião Ramos, Macapá - AP, CEP 68908- 194
Ato de criação Decreto n° 4302/2005-GEA
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO (Código INEP: 16002431)